PERDÃO

Posted By on dez 17, 2012 | 0 comments





Essa é a palavra que escolhi para esse final do ano. Não, não é nada fácil.
Perdoar não é simplesmente dar as costas e fingir que nada aconteceu. Perdoar é desatar do coração. É liberar o mal que corrói a nós mesmos. Soltar.
Só se é ferido por alguém, quando esse alguém teve ou tem algum poder sobre nossos sentimentos. Ninguém é magoado por um desconhecido ou uma pessoa sem importancia, não profundamente.
Então, se existe magoa, ela é o lado do avesso do amor, o seu oposto; o negativo se sobrepondo ao positivo. São amarras, laços, correntes que levam a lugar nenhum ou no máximo ás coisas do seu grupo; tristeza, depressão, rugas…
O amor pode se transformar em magoa, mas a magoa não se transforma em amor.  Daí o perdão, como um “delete consciente”. É complicado, porem necessário.
Afinal somos seres humanos e todos nós temos sentimentos, apesar de cada um lidar com eles de maneira diferente.
Perdoar é ser perdoado, como indefinidamente já fomos.
Assim como também ferimos e somos feridos, amamos e somos amados. O mais importante é amarmos a nós mesmos antes de tudo e de todos e nesse amor por nós, não pode estar incluído um sentimento cruel. Pelo contrário.
Já explicava Oscar Wilde em The Picture of Dorian Gray– a beleza vem de dentro.
E já que beleza é fundamental, por que não usar esse SPA? Perdoar, soltar, liberar, jogar fora o que não tem mais sentido e abrir espaço para o belo, o  famoso “começar de novo”, nessas paginas totalmente em branco de 2013.
Pra mim, especialmente, 2012 me deixou essa lição (repetidas vezes) que espero ter aprendido:
– Perdoe.
EU DISSE ALGUMA COISA ERRADA?
INTOCÁVEIS

Comente!

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>