PRA SEMPRE

Posted By on jan 18, 2013 | 4 comments


Existem pequenos amores que duram uma primavera, outros que sobrevivem por todo o verão.
Existem lembranças que voltam a partir de uma musica, amores doces e amargos, de todas as formas e números, tipos e intensidades. Os falsos amores, os sinceros, mas frágeis. Os amores que viram amigos, os amigos que viram amores.
Existem amores febris que são curados por uma traição. Amores platônicos que se resolvem com amores carnais. Existem amores e amores…
E existe o grande amor.
Ele não é aquele que causa um tumulto repentinamente e se dilui nos primeiros raios de rotina, nem esse que jura amor eterno e cumpre a promessa, socialmente.
As paixões passam, o encantamento passa, só o grande amor sobrevive. Cúmplice nas tempestades, erros, acertos e apesar de, ele é o amigo, o amado, o fiel no seu sentimento. Distante às vezes, próximo outras, mas eternamente presente. Entre idas e partidas, conflitos, pecados e perdões; ele está lá. Sempre. E o coração sabe disso.
É o lendário pote de ouro no fim do arco-íris. O tesouro ambicionado por todos os seres mortais.
Único e raro, ele chega sem alarde, mas não se despede, nem se auto proclama.
Não importa a idade ou o tempo, ele tem todo o tempo do mundo, todas as horas e todos os momentos. E o mais importante: É recíproco. Almas velhas conhecidas…
Uma alma não precisa dizer que conhece a outra; ela se parece, se identifica e segue ligada por um elo invisível e mágico desde o primeiro olhar até o final dos tempos.
Forte na sua autenticidade, surpreende os amantes e irrita os mal amados
Pouco importa o passar dos dias, dos meses, a mudança dos anos, a ironia da vida ou da morte.
Existem muitos olhares e existe o seu. Existem várias lembranças e existem as nossas. Existem muitos amores.
E só um grande amor – você. 


Você, que gostava de colocar pra mim, essa canção

TRAIÇÃO
EU DISSE ALGUMA COISA ERRADA?

Comente!

4 Comments

  1. Olha Isolda,

    Seus textos são sempre poéticos e profundos como as letras de suas canções! E você consegue, com uma facilidade impressionante, falar de dor (como no texto anterior que tratou da morte) e amor, com um trânsito livre entre as palavras, o que lhe é peculiar!

    Acredito que cada um tenha uma definição própria do amor e essas definições convergem ou nas mesmas palavras ou nas mesmas atitudes, ao menos para quem vive o amor de forma profunda e sob uma alma apaixonada. E como diz esse eterno bolero, talvez amor de verdade só exista um, mas outros amores contam também suas verdades e nos acrescentam no conceito de amor de verdade!

    E Deus é muito generoso conosco, pobres mortais, pois nos abençoa com esse nobre sentimento e também com instrumentos afinados por Ele, que sabem cantar e expressar o amor em suas harmonias, melodias e palavras!

    Blog Música do Brasil
    http://www.everaldofarias.blogspot.com

    Um forte abraço a todos!

    Post a Reply
  2. Como sempre, impecável!

    Post a Reply
  3. Oi Everaldo, que lindo comentário. Sua maneira de expressar é fantástica. Muito obrigada por sua opinião. É sempre um grande prazer ter vc por aqui. Um beijo

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>